quarta-feira, 19 de setembro de 2018

MONTIEZ Rodrigues!

Ruas, praças e estátuas



ESTÁ começando um movimento em todo o território nacional para se tirar nomes de ditadores e torturadores de ruas, praças, viadutos com que foram homenageados até mesmo após o período da ditadura militar no Brasil. Acho que este movimentos deveriam se ampliar para que se retirem também o nome de políticos corruptos(quase todos), que nunca fizeram bem a este país. Pouco se homenageia cidadãos de bem como escritores, professores, cientistas, músicos e outros que em alguns momentos revelaram grande bravura. A maior parte das homenagens vai para presidentes, governadores, filhos de governadores, prefeitos, deputados e senadores. Alguns becos levam nomes de vereadores. Aqui na Bahia, foram construídos dezenas de colégios "Modelo" com o nome do filho de ACM. Até mesmo o Aeroporto Internacional Dois de Julho, que homenageava a data da Independência da Bahia, passou a se chamar Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, dando a entender que este cidadão foi mais importante para a Bahia do que a data de sua libertação. E assim, sem nenhuma consulta ao povo que dizem representar, vão estendendo o leque das homenagens entre eles. E nesta auto-celebração, a classe política no Brasil continua se colocando acima de seus representados, mas querendo fazer crer que o povo brasileiro ama seus representantes.

Quando cheguei em Natal nos anos setenta, morei no bairro Mirassol, onde todos os nomes de ruas eram nomes de flores: Rua dos Miosótis, Rua das Rosas, das Violetas, Girassóis e outros belos nomes de flores. Era um encantamento de palavras, as ruas pareciam cheirar com a sonoridade das palavras. Depois fui morar no bairro de Ponta Negra, onde o nome de todas as ruas eram nomes das mais belas praias deste país. Rua Praia de Serrambi, avenida Praia de Búzios, Pititinga, Muriú, Tabatinga, Pirangi, Zumbi etc. A rua onde comprei minha primeira casa era a rua Praia do Rio do Fogo. A brisa suave que soprava do Atlântico amenizando os raios daquele sol radiante nos dava a sensação de que cada rua era uma praia em particular. Dava orgulho dizer "moro na avenida Ponta Negra". Nem se comparava com o cheiro de mofo das ruas do centro, todas com nomes de presidentes e interventores. Há até uma com nome de Barata. Não sei como alguns dos ratos que habitam naqueles esgotos do centro também não foram homenageados já que com nome de ratos da política as ruas da capital potiguar estão cheias.





 
Fleury, um delegado que atuou durante os governos militares, ficou conhecido por sua atuação violenta e foi acusado de tortura e homicídio de inúmeras pessoas pelo Ministério Público, mas morreu antes de ser julgado. (fonte: Wikipédia)


Atualmente, ruas com nomes de flores, cheiram; com nomes de políticos, fedem. As estátuas que representam políticos ainda pululam pelas praças do Brasil. O povo ainda não ousou derrubá-las como os russos fizeram com as estátuas Lenin, Stalin e os líderes do comunismo no Leste Europeu. No entanto, urubus, pardais e outros pássaros cagam todos os dias nas cabeças delas. O ácido das bostas e as intempéries corroem sua alvenaria e logo, logo as transformarão nas ruínas que foram as vidas daqueles a quem simbolizam. Destrói o tempo colunas de mármore quanto mais estas ridículas representações deste heróis de merda! (Via Facebook, acesso em 17set2018)


Concordo em gênero, número e grau!

L.s.N.S.J.C.! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!