terça-feira, 21 de agosto de 2018

HOMEM que espancou e matou a mulher era também mais um "cidadão de bem"!

Fonte: Internet


O HOMEM que espancou a mulher e a matou era um cara normal.

Estudou, casou, trabalhava, tinha uma família. Não era nenhum doido não. Era apenas homem.

O perfil no facebook parece ter sido trancado agora, mas não era.

Leia também:





Achava absurda a corrupção no país. Dizia lutar por um mundo melhor. Defendia a tradicional família brasileira.

Afirmava que bandido bom era bandido morto. Apoiava a posse de armas. Fazia campanha para político fascista e compartilhava memes do MBL.

Agora ele é o bandido. Será que ainda quer pena de morte?
Ele queria ter uma arma. Alguém acha que ele poderia ter uma arma? Você tem que saber que quando afirma ser a favor da liberação da posse de arma, você tá dando um revólver pra vários Luis Felipes.

Você tá aprisionado milhares de mulheres, e não deixando elas mais seguras.

Porque a gente não quer ter uma arma pra se defender de marido assassino não. A gente quer é que não exista mais marido assassino.

O cara que matou a mulher não é anormal, não é louco, não é psicopata, não tem problemas mentais. É só mais um homem que quer mandar na mulher.

Talvez, se ele acompanhasse nas redes discursos diferentes do que ele via, a história seria outra. 
Talvez, se não tivesse um babaca fascista falando todo dia na cabeça dele que mulher tem que ser submissa mesmo, ele teria desconstruído esse machismo e poderia, hoje, não ser um assassino.

É isso que a gente tem que sacar. Tem discurso que mata. Que transforma pessoas em bandidos.

É muito difícil pra mim conceber a candidatura de um fascista ao maior cargo público do país.

(...)

Eu tenho certeza que o fascista não vai ganhar eleição. Mas só dele ser um candidato possível, já é triste! Já é uma perda enorme. 
Dar voz a isso é criminoso.

Mônica Dominato Cury (via Facebook, acesso em 21ago2018)

Deus nos livre desses cidadãos de bem!

L.s.N.S.J.C.!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!