quarta-feira, 22 de agosto de 2018

CÁSSIO de Andrade!

Como era o sistema eleitoral na década de 1970


EM TEMPO de eleições, vou iniciar aqui minhas memórias eleitorais de 1978 pra cá, o período que minha memória alcança. Em 1974 só tinha 06 anos e só me lembro do general Geisel.


Em 1978, as eleições foram somente para o Legislativo, em 15 de novembro. Esta data era fixa, nem sempre caía no domingo. Lembro que essa de 1978 caiu no meio da semana, pois comemorei muito não ter aula nesse dia. Nesse ano, o Brasil perdera a Copa do Mundo na Argentina, mas veio invicto de lá, com o título de "campeão moral" inventado pelo técnico Cláudio Coutinho. Assim, como na Copa, ficamos em terceiro lugar no Mundial de Basquete disputado na Austrália, em decisão emocionante contra a Itália também. Era a geração de Carioquinha, Fausto, Ubiratan, Marcel e Oscar. Essa geração fez o Basquete se tornar o segundo esporte de preferência popular no Brasil. O Vôlei engatinhava com Moreno. Em outubro, o General João Batista de Oliveira Figueredo era "eleito" no Colégio Eleitoral da ditadura para suceder o General Ernesto Geisel. No Pará, o ungido foi o Tenente Coronel Alacid da Silva Nunes, para suceder o ex-Reitor da UFPA, professor Aloísio Chaves. Uma derrota para o Coronel Jarbas Passarinho, inimigo declarado de Alacid. 

Havia dois partidos políticos: a ARENA (Aliança Renovadora Nacional), de sustentação da ditadura militar, e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), a oposição consentida pelo regime. A legislação proibia que as duas agremiações partidárias tivessem o nome de "partido político". Assim funcionava a democracia na ditadura, que alguns teimam afirmar que não existia. Ah, ainda tinha a novidade do Senador "Biônico" criado pelo Pacote de Abril, para evitar que a oposição tivesse maioria. Era escolhido pelo regime, sem voto, pulando para o Senado, na rapidez do "homem Biônico", série de muito sucesso na época. O nosso Senador Biônico foi o empresário Gabriel Hermes Filho que mandava e desmandava no SESI.

Esse era o quadro que se arrumava para as eleições de 1978, que vou escrever com mais detalhe no próximo texto. 

Antes de escrever o segundo texto sobre as eleições de 1978, vou esclarecer a história do Senador Biônico. 

Em 1977, na vigência da tal "distensão gradual", falácia inventada por Golbery e levada a cabo pelo Geisel, no mês de abril foi lançado um pacote eleitoral que regulamentaria as eleições de 1978, mantendo o bi-partidarismo do AI-02, cancelando as eleições diretas para governador (fixaram para 1982) e criando a figura do Senador Indireto, nomeado pelo presidente, que avalizava a eleição indireta nos estados da federação. Tudo isso foi feito por conta do crescimento dos votos no MDB nas eleições de 1976, o que poderia acabar com a maioria arenista no Senado. Era mais uma forma de manter segura a maioria da Arena, pois o resultado das eleições de 1978 demonstraram o contrário do que temia o regime. O apelido "Biônico" tem relação com uma série que fazia muito sucesso, à época, "Cyborg, o homem de seis milhões de dólares", cujo protagonista, Lee Major, era um ser cujos membros eram implantes cibernéticos, que lhe davam superpoderes, principalmente de saltar e correr e era um serviçal do governo dos EUA. E ainda custava só seis milhões de dólares... aqui em Belém, essa série passava na TV Guajará Canal 4. Depois veio a franquia com a "Mulher Biônica" e até um "Cão Biônico" para a alegria do Márcio Couto Henrique. 

É isso!

(via Facebook, acesso em 19ago2018)

Cássio de Andrade é professor de História.

L.s.N.S.J.C.!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!