terça-feira, 7 de novembro de 2017

ÓDIO contagia e mata!

FOI identificado como Devin Kelley, um ex-integrante da Força Aérea, “excluído sem honras”, o assassino de pelo menos 25 pessoas na igreja batista de uma pequena vila no interior do Texas.

O ódio foi cuidadosamente semeado nos últimos anos, ódio de todas as espécies: ódios raciais, nacionais, religiosos, ideológicos.

Nos Estados Unidos, isso se juntou ao insano culto norte-americano às armas, que alguns lunáticos estão criando também aqui.

O alucinado Kelley jamais poderia ter causado mal e dor na escala em que causou se não pudesse ter o fuzil que exibia no Facebook, como o contador aposentado Stephen Paddock não poderia ter matado 59 pessoas num show de música em Las Vegas se não tivesse, legalmente, várias armas automáticas.

O que mais é preciso para que se entenda que a aceitação do ódio potencializa os loucos e a permissão do uso de armas dá a eles os meios de realizar seus delírios? (Tijolaço)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!