terça-feira, 10 de janeiro de 2012

OPINIÕES sobre Gutemberg de Paula Fonseca, árbitro, que afirmou ter recebido pressão em jogo do Corinthians em 2010

Osmar de Oliveira 

SOU daqueles jornalistas que mais defendem as arbitragens no Brasil.
Fruto da minha amizade com muitos deles. Seja pelas inúmeras aulas que dei nos cursos de arbitragem aqui em São Paulo. Fruto das dezenas deles que me confiam suas dores na minha clínica médica. Resultado também das centenas de horas que passamos juntos nos exames antidoping. Tenho apreço por eles e conheço suas dificuldades.

Pois bem. Gutemberg de Paula Fonseca. anuncia que se despede da arbitragem sob alegação de que é perseguido por Sérgio Correa da Comissão de Arbitragem da CBF o qual , segundo ele, sugere resultado em alguns jogos. A CBF e Sergio Correa anunciam que vão processá-lo. Gutemberg diz que tem provas documentais.

É importante que esse processo seja concluido. Se ele provar favorecimentos, a CBF deve reconhecer a culpa e trocar o seu funcionário imediatamente.

Claro que bastou a entrevista de Gutemberg ao excelente jornalista Fernando Sampaio da Rádio Jovem Pan, para um monte de gente vir escrever aqui no blog coisas contra o Corinthians. Para alguns, isso já é profissão.

” Vai apitar jogo do timão, hein”!  Essa é a frase que Gutemberg alega como sendo uma senha para ajudar o Corinthians contra o Goiás  Corinthians 5 x Goiás 1 no Pacaembu, com um cartão vcermelho para Amaral do Goiás e 6 amarelos para os corintianos Defederico, JH, Paulinho, Ralf, Paulo André e Roberto Carlos. Na entrevista, e isso é normal, esqueceu de dizer que esse jogo foi em 2010, porque em 2011, o Goiás estava na série B. Gutemberg apitou 3 jogos do Corinthians em sua carreira. Foram duas vitótias do Corinthians  (a outra foi na estréia da série B contra o CRB, 3×2) teve uma derrota contra o Atlético Goianiense por 3×1. Pergunta-se : como, segundo ele, os telefonemas eram rotina antes dos jogos, o que Sérgio lhe falou antes desse jogo ?

Mas em 2011, ele apitou AM 2 x Coritiba 1 . Pergunta-se: era para favorecer quem? Apitou também Avaí 1 x Santos 2 . Era para favorecer quem?

Ele não podia apitar jogo de time carioca por pertencer à federação carioca. Mas também não foi escalado para apitar nenhum clássico fora do eixo Rio-São Paulo. E neste 2011 em que o Corinthians foi penta, não foi escalado para nenhum jogo do Corinthians. Ora, se o Corinthians seria favorecido e ele nunca havia reclamado dessas insinuações, porque não foi escalado ? Já deveria estar desconfiado que quem não apita jogo importante, não seria colocado como árbitro FIFA em 2012. Agora foi preterido nessa indicação por Péricles Bassol também do RJ, anuncia sua despedida dos gramados e faz essa insinuação. Não seria mais honesto se depois daquela frase ele tivesse dito: “Como assim!”, ou ” O que vc quer dizer com isso?” Como esse jogo foi em 4set.2010, porque esperar exatos 15 meses para dizer o que disse? Porque passou a acusar agora que foi preterido? Se fosse mantida sua indicação para a FIFA em 2012, teria feito a mesma insinuação de agora?

Não estou afirmando quem tem razão ou quem é o honesto nessa situação. Mas espero que os documentos que Gutemberg diz ter sejam realmente mostrados. Melhor ainda, meu caro Gutemberg, se você mostrá-los desde já , antes do processo para que a imprensa possa investigar mais ainda e tirar conclusões mais rápidas. Além do que, a imprensa é mais rápida que a Justiça. (blog do Dr. Osmar)

De Vitor Birner

As acusações de Gutemberg de Paula Fonseca contra Sergio Corrêa, presidente da comissão de arbitragem, devem ser apuradas.
Corrêa continua no cargo e o futebol brasileiro precisa de credibilidade para crescer.
O último Brasileirão, apesar de ainda sofrer com o monte de erros de arbitragem, não ficou marcado por polêmicas do apito, decisões curiosas do STJD e times desmotivados atuando muito mal em jogos que  interessavam aos seus rivais.
Isso vinha acontecendo nos anos anteriores.
Logo após a entrevista de Gutemberg à Rádio Jovem Pan, onde o apitador fez as acusações, Leandro Iamin me ligou para comentar o caso.
Tanto ele quanto este blogueiro acham Gutemberg um árbitro ruim.
Só as boas relações políticas dele explicavam o fato de ter sido incluído no quadro de sopradores da Fifa.
E, aparentemente, as questões políticas que o tiraram da elite da ‘apitação’ motivaram as acusações.
Por que não as fez antes? Estava disposto a aceitar tudo se continuasse como árbitro-Fifa?
É sobre isso que Leandro Iamin escreveu logo abaixo
De Leandro Iamin
Me lembro de quando escrevi, aqui no blog, sobre a Final da Taça Rio que deu ao Botafogo o título estadual de 2010.
Foi a primeira vez que vi Gutemberg de Paula Fonseca apitar.
Fiquei estarrecido.
Na época, fazia levantamentos semanais dos cartões dados ao redor do mundo, e já sabia que o Brasil era o país mais “amarelado” de todos.
Gutemberg extrapolou.
Na partida, que nem violenta foi, ele deu 17 amarelos, além de 2 vermelhos e 2 pênaltis discutíveis.
Em outros jogos, como este, por exemplo, notei o claro destempero do apitador na hora de manter a disciplina.
Em 2011…
No ano passado, Gutemberg virou árbitro Fifa. Entrou no lugar de Péricles Bassols.
Mas, agora em 2012, Bassols retomou o posto em detrimento de Gutemberg que, após ganhar o tal escudo, não foi escalado para nenhum clássico no Estadual do Rio.
O motivo dessa troca não se sabe.
Ambos são fracos.
Em setembro último, Gutemberg  apitou o jogo mais polêmico do país no ano, entre Fortaleza e CRB, pela Série C .
Declarou que viu diálogos entre atletas dos  times sobre a partida do Campinense (que definia o rebaixamento ou não do Fortaleza).
Em 2012 a consciência doeu?
O árbitro em questão deu uma entrevista para a Jovem Pan.
Chamou Sérgio Corrêa, Presidente da Comissão de Arbitragem, de “Mentiroso, mariquinha e corrupto”.
No trecho mais palpitante da entrevista, acusou Sérgio Corrêa de, por telefone, dar recomendações suspeitas aos árbitros.
E citou um caso:
“Ele me disse antes do jogo em que o Corinthians ganhou por 5 a 1 do Goiás: ‘é jogo do Timão, hein?’. O que eu posso entender com isso? Que se o Corinthians não ganha, eu posso nunca mais ser escalado”, disse Gutemberg.
Opinião
Só depois de tanto tempo, e só depois de perder o escudo da Fifa, o Sr. Gutemberg resolveu contar o fato ocorrido em 2010?
O incômodo de ser pressionado pelo seu chefe, tal qual acusa, não foi suficiente para ele se recusar a soprar naquele jogo e não compactuar com algo que, hoje, julga ser errado?
Opinião de Leandro Iamin
Gutemberg de Paula Fonseca não contaria isso se continuasse como árbitro da Fifa.
Falou porque lhe tiraram o mimo e o fizeram dar um passo atrás na carreira.
Gutemberg, caso realmente se importasse com o andamento das coisas, não teria guardado esse e os outros casos, sobre os quais alega ter ”tudo documentado”. .
Ele preferiu trabalhar calado, sem sinais de insatisfação,  e ganhar o escudo Fifa, o qual aceitou das mãos dos mesmos que hoje acusa.
Torcida
Espero que as acusações sejam devidamente apuradas.
Se forem verdadeiras, ao menos as coisas pessoais de Gutemberg servirão ao bem comum.
(blog do Birner)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!