quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

UM POUCO mais de Sócrates Brasileiro

COMO prometi , vou escrever um pouco mais de Sócrates.

Poucos sabem como ele ganhou uma hérnia de disco que tanto o incomodou.. Vou tentar reproduzir aqui, a história que ele mesmo me contou. 

“Quando fui contratado pela Fiorentina, estava bem, com um preparo físico razoável. Assim que cheguei, botei terno e gravata, para fazer um pouco do tipo que os italianos gostam. Me virei com aquele terno embora todo mundo saiba que não gosto de me vestir asssim.  Desse jeito, jantei com alguns diretores num belo restaurante em Firenze.  Tomamos um vinho especial. Dormi pouco e fui para o primeiro treino. Eu achava que deveria descansar pelo menos uns 2 dias, mas  o presidente achava que eu deveria treinar logo, para a imprensa saber que eu estava a fim mesmo. Miseravelmente, o treino programado para aquela manhã era uma subida de um morro íngreme em que só se conseguia chegar lá em cima agarrando-se em arbustos e tomando impulsos. Um treino sem sentido, mas lá estava eu. E foi justamente num desses impuslsos que senti uma fisgada na região lombar”

Ai começou a primeira vivência do Magrão com dores persistentes. Vivia usando analgésicos e antinflamatórios para poder jogar. Fez o que pode. Tempos depois foi operado por um neurocirurgião no Rio de Janeiro e logo estava no Flamengo. O resultado da cirurgia foi tão bom, que em pouco tempo, Sócrates não sentia mais nada. 

Encerrada a carreira, meu convívio com Sócrates limitou-se a uns 4 ou 5 eventos como palestrantes. Tinhamos uma respeito mútuo e falávamos de futebol e medicina. Sempre que o papo permitia, Sócrates incursionava pela política socialista. Eu prestava muita atenção no que ele dizia. Aprendi muito. Fora isso, sempre que podia, assistia seus btrabalhos na TV falando de futebol. Como poucos ele misturava em doses exatas a técnica,  a tática e principalmente o conjunto do time. 

Cresce muito na arte médica uma tal de Medicina Baseada em Evidências. E há bons representantes aqui no Brasil. Um dia, convidaram eu e Sócrates para um papo numa pizzaria aqui na Vila Mariana. Mais falamos do que comemos ou bebemos. Sócrates bebia cerveja como se tivesse bebendo o mais caro e requintado dos licores. 

Lutou contra a morte sem desesperos. Foi calmo e gentil em todas as consultas e procedimentos médicos. 

Não sei se procede essa frase que tanto falam : ” Quero morrer num domingo e com o Corinthians Campeão”. Mas foi justamente isso que aconteceu. Sócrates se foi e deixou muita coisa, principalmente saudade. É possível que lá em cima se jogue futebol e que também tenha uma seleção. Se for verdade, algum meia desse time foi para a reserva a partir deste 4 de deembro de 2011. (Dr. Osmar de Oliveira, em seu blog)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!