quinta-feira, 24 de novembro de 2011

UNIVERSIDADE complica Vasco

O ÓTIMO jogo da Liga dos Campeões em Milão prosseguiu no Rio pela Copa Sul-Americana. 

O primeiro tempo de Vasco e Universidade do Chile foi disputado intensamente e com técnica muitas vezes apurada. 

La U não é o Barcelona, longe disso, tanto que foi o Vasco quem ficou mais tempo com a bola, 51%. 

Mas é mesmo um belo time, taticamente disciplinado e de muita personalidade, capaz de jogar sem se intimidar em São Januário eletrizado pela massa cruzmaltina. 

E se ameaçou o Vasco, foi ainda mais ameaçado, até com um lindo chute de Élton no travessão, aos 30. 

E tomou o gol de Bernardo, dois minutos depois, numa bola desviada que ficou a feitio do vascaíno para por os brasileiros em vantagem, mesmo sem Éder Luís e Diego Souza. 

O segundo tempo manteve o diapasão, com o time chileno partindo para dentro do Vasco com coragem. 

Enquanto o Vasco buscava acertar um contra-ataque para liquidar o jogo, La U pressionava e, aos 20, Alecsandro substituiu Élton, numa opção de Cristovão, diferentemente do que acontecera quatro minutos antes, quando Felipe, com problemas musculares, teve de dar o lugar ao xará Bastos. 

Uma lástima, porque Felipe vinha muito bem. 

Fernando Prass tinha que trabalhar com a competência de sempre e o ex-corintiano Jhonny Herrera era o chamado espectador privilegiado do jogo. 

Só aos 27, em lançamento de Juninho Pernambucano batendo falta para Dedé é que o goleiro rival teve algum trabalho. 

O jogo não parava, disputado em clima de Libertadores, mas, no mais das vezes, lealmente, como deve ser. 

E, aos 33, o zagueiro Osvaldo Gonzáles, fez o gol que Dedé não conseguira, em jogada semelhante, depois de cobrança de falta sobre a área vascaína, numa saída indecisa de Prass. 

Pelo que acontecia no segundo tempo, inútil negar, era justo. 

Ee complicava a vida brasileira em Santiago, no próximo dia 30. 

Era hora de mexer de novo e Leandro entrou no lugar de Allan. 

Aos 40, foi a vez de Alecsandro, em nova cobrança de falta de Juninho, não conseguir o gol que Dedé também não conseguiu e o time chileno fez, numa cabeçada sem direção. 

E o danado time andino não se preocupava apenas em defender o excelente resultado que lhe dava o direito do 0 a 0 em casa: buscava o segundo gol. 

Que, aos 42, mais uma vez, esteve na cabeça de Alecsandro, em vão. 

O Vasco vive, mas sabe que a vida ficou muito mais difícil. 

Agora é esperar a penúltima rodada do Brasileirão para planejar o que fazer na semana que vem. 

Porque, caso mantenha viva a possibilidade de ser pentacampeão brasileiro contra o Flamengo, aí será sim caso de abdicar da Copa Sul-Americana. 

Caso contrário, é ir com tudo para jogar aos pés da Cordilheira dos Andes.
La U completou 29 jogos sem perder… 

Em tempo: o Vasco teve 54% de posse de bola durante os 94 minutos de jogo. (blog do Juca Kfouri)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!