sexta-feira, 18 de novembro de 2011

OPINIÃO de Rica Perrone: time sem-vergonha


 






FIM DE papo no Engenhão. O Flamengo empata com o Figueirense, chega a 12 pontos perdidos em casa para times “menores” e assim dá adeus a qualquer possibilidade de ser campeão brasileiro em 2011. Até aí, tudo bem. Time que briga por título até faltarem 3 rodadas não pode ter feito algo ruim durante o ano.
 
Pode, no entanto, ter dado seu recado. E desta vez a torcida entendeu direitinho qual era. 

Aos gritos de “time sem vergonha”, o mais badalado elenco da temporada viu toda sua cena de comprometimento ir por água baixo.
E sim, eles tinham razão. 

Um time que joga quando quer, que brilha e apaga sem a menor explicação, que não tem responsabilidade fora de campo e que precisa de babá. 

Luxemburgo passou o ano preservando os garotos e pra isso escalou muitos “moleques”. Não o culpo por isso, pois no final da temporada a porrada não está minando nenhuma das promessas, apenas os medalhões. 

Ronaldinho pode devolver, em dinheiro, o que jamais devolveria em atitude numa decisão. É impressionante o quanto o rapaz some quando o jogo é decisivo. 

Estou fazendo força pra lembrar de alguém tão badalado que tivesse tanto medo de decidir quando o “gaúchinho”. Isso, é “inho”. Craque de “joguinho”. 

Se vier no seu pé, pode resolver. É craque, sabe muito. Mas não pedirá que venha. E se não vier perfeita, como vimos hoje, nem dominar ele consegue. 

Ronaldinho não tem personalidade pra jogar como capitão de time nenhum. 

O time torto do Flamengo em 2011 não é um desperdício completo pois através dele conseguirão ajustar para que 2012 o time tenha a responsabilidade e a movimentação que não conseguiu ter este ano. 

Adiantou botar Thomás e Muralha? É o que eu disse contra o Coxa… Não são os nomes! É a postura. 

A arrogância de um time que joga quando quer e que jura resolver o jogo quando bem entender. 

Não é assim. 

O Flamengo atual só funciona em jogo grande. Onde a responsabilidade é dividida e não há espaço para menosprezar adversário. 

Quando há, mesmo que inconsciente, menospreza. E quando o faz, perde. 

São 12 pontos perdidos em casa de 24 disputados contra times menores. Metade! 

O Corinthians, líder, perdeu 5. 

A leitura é simples: Jogam quando querem. E não cabe a profissional nenhum trabalhar quando bem entender apenas. 

A torcida fez seu diagnóstico e  acho que será difícil discordar dele. 

“Time sem vergonha”.
(blog do RicaPerrone)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDA ver um comentário aí!