quarta-feira, 30 de novembro de 2011

REPÓRTER da Globo festeja gol do Vasco contra o Flu


Sem comentários!

BLOGUEIRO faz balanço pormenorizado da Série B 2011

Raio-X Série B!

PORTUGUESA, Náutico, Ponte Preta e Sport estão de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira, com a colaboração do torcedor-internauta Ricardo Almeida, o blog rbrito irá analisar os números da Edição 2011 da Série B.

Campeã, a Portuguesa foi responsável pela maior diferença de gols e a maior vitória de um mandante ao fazer 5 a 0 no Bragantino. O próprio Braga e a Ponte Preta também golearam, pelo mesmo placar, ASA e ABC, respectivamente.

O Náutico, por sua vez, foi modesto e teve com seu maior triunfo os 4 a 2 sobre o Vila Nova na 31ª rodada. Já o rival Sport teve fome de gol e enfiou 4 a 0 no Vitória – 25ª rodada – e no Americana – 36ª rodada.

Aliás, goleada, por 4 a 0, esteve em sete jogos da Série B. Os 5 a 0 aconteceram em três oportunidades. O placar que mais se repetiu na competição foi o modesto 1 a 0. Os clubes venceram por este placar 65 vezes – uma a mais que 2 a 1. O empate, por 1 a 1, também cansou de se repetir (52).

No geral da competição, tivemos 380 jogos e 1012 gols. Média de 2,66 gols por partida, contra 2,59 na Série D. Os clubes mandantes foram responsáveis por 599 tentos, contra 413 dos visitantes. Estes gols foram fundamentais em 181 vitórias dos donos da casa e 96 triunfos dos “intrusos’. Ainda aconteceram 103 empates.


Confira TODOS os números da Segundona do Paulistão 2011:

RESUMÃO:

380 jogos
1012 gols
2,66 gols por jogo
599 gols dos mandantes
413 gols dos visitantes
Gols dos mandantes por jogo: 1,58
Gols dos visitantes por jogo: 1,09
Vitórias dos mandantes: 181 (diferença média de gols: 1,81)
Empates: 103 (placar médio: 0,97 x 0,97)
Vitórias dos visitantes: 96 (diferença média de gols: 1,47)

FREQUÊNCIA DE RESULTADOS:

1 x 0 (65)
2 x 1 (64)
1 x 1 (52)
2 x 0 (47)
0 x 0 (29)
3 x 1 (27)
3 x 0 (19)
2 x 2 (18)
3 x 2 (17)
4 x 1 (11)
4 x 0 (7)
4 x 2 (7)
3 x 3 (4)
5 x 0 (3)
5 x 2 (3)
4 x 3 (2)
5 x 1 (2)
5 x 3 (2)
6 x 2 (1)

DIFERENÇA E GOLS:

- Maior diferença de gols (5): 1ª rodada - Ponte Preta-SP 5 x 0 ASA-AL; 6ª rodada - Portuguesa-SP 5 x 0 Bragantino-SP; 20ª rodada - ABC-RN 0 x 5 Bragantino-SP
- Mais gols em um jogo (8): 16ª rodada - Bragantino-SP 5 x 3 Salgueiro-PE; 17ª rodada - Salgueiro-PE 3 x 5 Icasa-CE; 34ª rodada - Duque de Caxias-RJ 2 x 6 Bragantino-SP
- Mais gols de um time (6): 34ª rodada - Duque de Caxias-RJ 2 x 6 Bragantino-SP
- Maior vitória do mandante (5): 1ª rodada - Ponte Preta-SP 5 x 0 ASA-AL; 6ª rodada - Portuguesa-SP 5 x 0 Bragantino-SP
- Maior vitória do visitante (5): 20ª rodada - ABC-RN 0 x 5 Bragantino-SP
- Maiores empates (3x3): 9ª rodada - São Caetano-SP 3 x 3 Sport-PE; 19ª rodada - Ponte Preta-SP 3 x 3 Náutico-PE e Portuguesa-SP 3 x 3 Icasa-CE; 27ª rodada - São Caetano 3 x 3 Portuguesa-SP

MAIORES PLACARES:

- 1ª rodada: Ponte Preta-SP 5 x 0 ASA-AL
- 2ª rodada: Vila Nova-GO 3 x 1 Ponte Preta-SP e Icasa-CE 3 x 1 Vitória-BA
- 3ª rodada: Goiás-GO 4 x 1 ASA-AL e Ponte Preta-SP 4 x 1 Icasa-CE
- 4ª rodada: Vila Nova-GO 2 x 0 Criciúma-SC, ABC-RN 2 x 0 Goiás-GO e Guarani-SP 2 x 0 Boa Esporte-MG
- 5ª rodada: Goiás-GO 0 x 3 Paraná-PR
- 6ª rodada: Portuguesa-SP 5 x 0 Bragantino-SP
- 7ª rodada: Goiás-GO 1 x 4 Portuguesa-SP
- 8ª rodada: Portuguesa-SP 5 x 2 São Caetano-SP
- 9ª rodada: Paraná-PR 3 x 1 Duque de Caxias-RJ
- 10ª rodada: Vitória-BA 4 x 1 Bragantino-SP
- 11ª rodada: Goiás-GO 4 x 1 Vitória-BA
- 12ª rodada: Sport-PE 3 x 0 Salgueiro-PE
- 13ª rodada: Guarani-SP 4 x 0 Duque de Caxias-RJ
- 14ª rodada: Ponte Preta-SP 0 x 3 Portuguesa-SP
- 15ª rodada: Bragantino-SP 3 x 0 Duque de Caxias-RJ, Boa Esporte-MG 3 x 0 Sport-PE
- 16ª rodada: Vitória-BA 5 x 2 Americana-SP
- 17ª rodada: Salgueiro-PE 3 x 5 Icasa-CE
- 18ª rodada: Icasa-CE 4 x 2 Goiás-GO
- 19ª rodada: Salgueiro-PE 1 x 4 Grêmio Barueri-SP
- 20ª rodada: ABC-RN 0 x 5 Portuguesa-SP
- 21ª rodada: Boa Esporte-MG 4 x 1 São Caetano-SP
- 22ª rodada: São Caetano 0 x 2 Bragantino-SP
- 23ª rodada: Vitória-BA 5 x 1 Duque de Caxias-RJ
- 24ª rodada: ASA-AL 3 x 1 Criciúma-SC
- 25ª rodada: Sport-PE 4 x 0 Vitória-BA
- 26ª rodada: Portuguesa-SP 3 x 0 Goiás-GO
- 27ª rodada: ABC-RN 3 x 0 Sport-PE
- 28ª rodada: Criciúma-SC 3 x 1 ABC-RN e Guarani-SP 3 x 1 Náutico-PE
- 29ª rodada: São Caetano-SP 3 x 0 Vila Nova-GO
- 30ª rodada: Criciúma-SC 3 x 0 Salgueiro-PE e Guarani 0 x 3 Ponte Preta
- 31ª rodada: Grêmio Barueri 0 x 3 São Caetano-SP
- 32ª rodada: São Caetano-SP 4 x 0 ABC-RN
- 33ª rodada: Goiás-GO 4 x 1 Duque de Caxias-RJ
- 34ª rodada: Duque de Caxias-RJ 2 x 6 Bragantino-SP
- 35ª rodada: Náutico-PE 2 x 1 Grêmio Barueri-SP e Boa Esporte-MG 2 x 1 ASA-AL
- 36ª rodada: Sport-PE 4 x 0 Americana-SP e Bragantino-SP 4 x 0 Goiás-GO
- 37ª rodada: Portuguesa-SP 4 x 0 Duque de Caxias-RJ
- 38ª rodada: ABC-RN 3 x 1 Americana-SP

MAIORES VITÓRIAS POR TIME:

- ABC-RN: 3 x 0 contra Duque de Caxias-RJ (11ª rodada) e Sport-PE (27ª rodada)
- Americana-SP: 3 x 1 contra Vila Nova (18ª rodada)
- ASA-AL: 4 x 2 contra Paraná-PR (10ª rodada)
- Boa Esporte-MG: 4 x 1 contra São Caetano-SP (21ª rodada)
- Bragantino-SP: 5 x 0 contra ABC-RN (20ª rodada)
- Criciúma-SC: 5 x 2 contra Icasa-CE (32ª rodada)
- Duque de Caxias-RJ: 2 x 1 contra ASA-AL (17ª rodada)
- Goiás-GO: 4 x 1 contra ASA-AL (3ª rodada), Vitória-BA (11ª rodada) e Duque de Caxias-RJ (33ª rodada)
- Grêmio Barueri-SP: 4 x 1 contra Salgueiro-PE (19ª rodada)
- Guarani-SP: 4 x 0 contra Duque de Caxias-RJ (13ª rodada)
- Icasa-CE: 5 x 3 contra Salgueiro-PE (17ª rodada)
- Náutico-PE: 4 x 2 contra Vila Nova-GO (31ª rodada)
- Paraná-PR: 3 x 0 contra Goiás-GO (5ª rodada) e Guarani (36ª rodada)
- Ponte Preta-SP: 5 x 0 contra ASA-AL (1ª rodada)
- Portuguesa-SP: 5 x 0 contra Bragantino-SP (6ª rodada)
- Salgueiro-PE: 2 x 0 contra Duque de Caxias-RJ (3ª rodada) e Goiás-GO (6ª rodada)
- São Caetano-SP: 4 x 0 contra ABC-RN (32ª rodada)
- Sport-PE: 4 x 0 contra Vitória-BA (25ª rodada) e Americana-SP (36ª rodada)
- Vila Nova-GO: 3 x 1 contra Ponte Preta-SP (2ª rodada)
- Vitória-BA: 5 x 1 contra Duque de Caxias-RJ (23ª rodada) e Salgueiro-PE (34ª rodada)

PIORES DERROTAS POR TIME:

- ABC-RN: 0 x 5 contra Bragantino-SP (20ª rodada)
- Americana-SP: 0 x 4 contra Sport-PE (36ª rodada)
- ASA-AL: 0 x 5 contra Ponte Preta-SP (1ª rodada)
- Boa Esporte-MG: 1 x 4 contra Sport-PE (34ª rodada)
- Bragantino-SP: 0 x 5 contra Portuguesa (6ª rodada)
- Criciúma-SC: 0 x 3 contra Ponte Preta (16ª rodada)
- Duque de Caxias-RJ: 0 x 4 contra Guarani-SP (13ª rodada) e Portuguesa (37ª rodada)
- Goiás-GO: 0 x 4 contra Bragantino-SP (36ª rodada)
- Grêmio Barueri-SP: 0 x 3 contra São Caetano (31ª rodada) e Guarani (33ª rodada)
- Guarani-SP: 0 x 3 contra Goiás-GO (19ª rodada), Ponte Preta-SP (30ª rodada) e Paraná-PR (36ª rodada)
- Icasa-CE: 1 x 4 contra Ponte Preta-SP (3ª rodada)
- Náutico-PE: 0 x 4 contra Portuguesa-SP (1ª rodada)
- Paraná-PR: 0 x 3 contra Sport-PE (37ª rodada)
- Ponte Preta-SP: 0 x 3 contra Portuguesa (14ª rodada)
- Portuguesa-SP: 0 x 2 contra ASA-AL (9ª rodada)
- Salgueiro-PE: 1 x 5 contra Vitória (34ª rodada)
- São Caetano-SP: 1 x 4 contra Boa Esporte-MG (21ª rodada)
- Sport-PE: 0 x 3 contra Boa Esporte-MG (15ª rodada) e ABC-RN (27ª rodada)
- Vila Nova-GO: 0 x 3 contra Vitória-BA (20ª rodada) e São Caetano-SP (29ª rodada)
- Vitória-BA: 0 x 4 contra Sport-PE (25ª rodada) (blog R Brito)

Excelente trabalho do blogueiro Rodolfo Brito.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

SPORT vence Flamengo mais uma vez!

Sport vence o Flamengo pela enésima vez !


O DEPARTAMENTO jurídico do Sport segue imbatível quando o assunto é o título de Campeão Brasileiro de 1987. Questionada apenas pelo Flamengo, a conquista do Leão já foi legitimada em várias esferas judiciais e é recnhecida pelo Brasil e pelo mundo desde o dia em que o capitão Estevam Soares levantou a Taça das Bolinhas.
A taça das bolinhas não vai para o Flamengo
Buscando alguma brecha da Justiça Brasileira, o Flamengo entrou com um agravo sobre a legitimação do título para o Leão da Ilha. E perdeu mais uma vez. “O Desembargador Federal, Francisco Cavalcanti entendeu que os recursos perderam o objeto, pois a obrigação a que foi condenada a CBF foi satisfeita”, disse o diretor jurídico do Sport, Arnaldo Barros.
(blog Terra da Xelita, Currais Novos - RN, Brasil)
O Flamengo não se conforma mesmo. Naquele ano era só jogar que seria o legítimo campeão.

OS 23 do Santos para o Mundial

Santos vai com o que tem e o que tem é muito bom


NENHUMA novidade. Eu sinceramente nem me preocupava com isso pois não haveria nenhuma surpresa mesmo.

A grande perda foi o volante Adriano que teve contusão grave no tornozelo.

Os demais formam o elenco que o Santos tem no momento e que é considerado muito bom.
Muitos dizem que é o melhor do país já que está bem equilibrado e ainda conta com Paulo Henrique Ganso, o artilheiro Borges e o genial Neymar, um dos melhores do mundo na atualidade.

O problema pode ser montar a defesa sem um lateral-esquerdo de ofício se Léo não estiver bem fisicamente.
Durval quebrou um galho por ali, mas não é lateral. A opção seria jogar com três zagueiros caso Léo não possa jogar normalmente.

Até o dia 14 de dezembro quando acontece a estréia santista, em Nagoya, provavelmente contra o Monterrey, do México, Muricy tem tempo para buscar novas soluções defensivas.

Ele não é um técnico de ficar inventando moda em cima da hora da decisão. Vai simplificar com os bons jogadores que tem em mãos e deixar para Ganso e Neymar decidirem lá na frente tendo como coadjuvante o centro-avante Borges. 

Dá até para ganhar o Mundial desse jeito, dá até para ganhar do Barcelona num dia bastante iluminado de Neymar e companhia, mas a tarefa é realmente bastante difícil e isso é preciso reconhecer também. 

Eis a lista santista para o Mundial do Japão que começa dia 8 com os jogos preliminares e termina dia 18 de dezembro em Yokohama.
Goleiros
1 – Rafael
12 – Aranha
23 – Vladimir


Zagueiros
13 – Bruno Aguiar
14 – Bruno Rodrigo
6 – Durval
2 – Edu Dracena
16 – Vinicius Simon

Laterais
4 – Danilo
3 – Léo
21 – Pará

Volantes
15 – Anderson Carvalho
5 – Arouca
7 – Henrique

Meias
8 – Elano
17 – Felipe Anderson
18 – Ibson
10 – Paulo Henrique Ganso

Atacantes

 
19 – Alan Kardec
9 – Borges
22 – Diogo
11 – Neymar
20 – Renteriau
 (blog do Quartarollo)

NORDESTE mais forte na Série A em 2012


BAHIA vai entregar o jogo para o Ceará por vingança nordestina contra o sul ou para se vingar do Cruzeiro do Ronaldo Fenômeno que humilhou o primeiro Campeão Brasileiro do goleiro Rodolfo Rodriguez de 1993?


Está no site oficial do Bahia. Veja:
 


E você, aí, do norte e nordeste, acha que o Bahia deve dar férias para o seu time titular e ajudar a região?
(blog do Milton Neves)
 
Será que vai sobrar mesmo para o Cruzeiro? Então, só resta à Raposa ganhar do Galo no domingo.

É TRI. Lançamento de livro sobre o Santos é hoje






(blog do Juca Kfouri)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

NA MARCA do pênalti (28nov.2011)



HOMENAGEM a Dario Pereira

Dario Pereyra, um craque também da camisa 10


A SÉRIE "Craques Inesqueciveis", publicada às sextas-feiras no Blog Salgueiro FC e no portal Terceiro Tempo, chega à quarta zaga. Dario Pereyra pertenceu a uma geração de ouro do futebol uruguaio, quando este país exportava talentos e apresentava um futebol competitivo, recheado de craques. O zagueiro, que fez história no São Paulo, porém jogou também no Palmeiras - os são-paulinos insistem em dizer que o craque apenas "passou" pelo rival -, foi um dos maiores zagueiros que eu vi jogar. Em ação, além da habitual raça uruguaia, tinha qualidade para desarmar e sair para o jogo com estilo. Dario foi completo. 

Numa entrevista um dia, indagou este repórter aqui: "Você já me viu eu sair de campo com o calção sujo? Saio com a camisa suada, mas o calção, não!" O uruguaio era assim. Jogava com a cabeça erguida, na bola. De forma viril, mas com lealdade. Pura classe... 

Dario Pereyra marcou minha vida de torcedor por vários momentos de sua carreira como jogador. Porém vou revelar aqui algo que apenas os torcedores mais experientes, como o meu grande amigo e jornalista Marcelo Laguna, um são-paulino de fé, lembram-se: Dario Pereyra já foi um craque da camisa 10. Isso mesmo! O uruguaio já vestiu a camisa mais importante de um time de futebol ou pelo menos a mais valorizada, destinada sempre ao craque da equipe. Você pode perguntar: Mas um zagueiro vestindo a 10? Sim. Na época, Dario desfilava seu talento no meio-campo tricolor. 

Tenho um partida em meu arquivo pessoal de jogos históricos, em que Dario Pereyra veste a 10 tricolor. O duelo é válido pela decisão do Paulistão de 1978, contra o Santos. Um jogo inesquecível. 

A categoria de Dario Pereyra atuando no meio-campo só o ajudou a ser um zagueiro ainda mais completo. Pois, como já disse, marcava com a raça uruguaia e apresentava uma saída de bola com a exuberância de um autêntico líbero! 

Dario só não conseguiu vingar como treinador de futebol. Mantendo a sina que persegue os grandes craques da história do futebol, o uruguaio não obteve sucesso à beirada do campo, desistindo de ser técnico. 

No entanto suas atuações como meia e zagueiro, seja no São Paulo ou nos demais times da sua vitoriosa carreira, só comprovam que este sim fez história no mundo da bola. Foi um craque da camisa 4. E da camisa 10 também, acreditem.

Quem é ele?

Nome: Alfonso Dario Pereyra Bueno
Apelido: Dario Pereyra
Nascimento: 20/10/1956, em Montevidéu, no Uruguai.
Posição: Zagueiro
Jogos Disputados pelo SPFC: 402
Data de entrada no clube: 07/12/77
Data de saída: 20/10/88
Gols pelo Tricolor: 39
Títulos Conquistados no SPFC: Campeão Brasileiro de 77 e 86, campeão paulista de 80, 81, 85 e 87.
Outros Clubes na carreira: Nacional de Montevidéu, Palmeiras, Flamengo e Osaka do Japão. (blog Salgueiro FC)

SÓ ACABA domingo que vem


Que Brasileirão!
Enquanto em Floripa, Corinthians e Figueirense fizeram um primeiro tempo truncado com apenas uma emoção de gol, em bola na trave de Júlio César chutada por Júlio César, no Rio, Vasco e Flu jogaram em busca do gol e trocaram bolas na trave, uma de Fred, outra de Élton.

No segundo tempo, no Orlando Scarpelli, o jogo mudou com a entrada de Alex no lugar de William e o Corinthians foi bem melhor, até fazer 1 a 0 com Liedson, em lindo passe de Alex.
Mas o Vasco, no Engenhão, não deixou o Corinthians comemorar muito porque Alecsandro cabeceou entre as pernas de Diego Cavalieri para fazer 1 a 0.
Só que  Fred tinha que fazer seu oitavo gol em três jogos e, num voleio fabuloso, empatou, o que não servia ao Flu, mas tirava o Vasco.

Tirava.
Porque com o jogo já terminado em Santa Catarina, Alecsandro deu um cruzamento longo para Bernardo obrigar  Cavalieri a dar o rebote e permitir que o próprio Bernardo desempatasse: 2 a 1.

Nada mais justo que Corinthians e Vasco briguem até a última rodada.
E contra seus mais tradicionais rivais: Palmeiras e Flamengo.
Será que ainda tem quem não goste dos pontos corridos?
Pela Libertadores, o Coritiba entrou na zona e está com a faca e o queijo na mão e ainda pode rebaixar o Furacão.
Como o Galo, salvo, pode ainda afundar o Cruzeiro.
Viva o Brasileirão-2011! (blog do Juca Kfouri)

domingo, 27 de novembro de 2011

E FICA tudo para domingo!

O BODEGUEIRO já pressentia que, com mais alguns minutos no Rio, o jogo do Vasco não terminaria empatado. Com isso as emoções continuam fortes no domingo, com Corinthians enfrentando o Palmeiras bastando um empate para ser pentacampeão brasileiro. Já o Vasco terá outra dureza contra o Flamengo, precisando da vitória, esperando que o Palmeiras atrapalhe o Corinthians. 

A briga continua também pelo rebaixamento, com o Cruzeiro tendo que ganhar (ou empatar, dependendo dos resultados dos outros concorrentes) do rival Atlético.

Foi um grande lance marcar clássicos para a última rodada.

Vamos aguardar mais esta semana.

O SPORT voltou

FOI SOFRIDO, foi debaixo de um aguaceiro no seco Brasil Central, mas o Sport bateu o Vila Nova, no Serra Dourada, por 1 a 0, gol de Bruno Mineiro, que entrou aos 17 do primeiro tempo e marcou de cabeça, aos 27 do segundo, num autêntico frango d’água do goleiro Luís Cetin, que fechava o gol e ainda tinha ajuda de suas traves. 

Mas o Sport está de volta. 

É o que interessa. 

Náutico, Ponte Preta, Portuguesa e Sport, agora, que tratem de planejar muito bem planejada a temporada de 2012 para não descer como subiu. (blog do Juca Kfouri)

O futebol pernambucano, pelo calor de sua torcida e pela tradição, merece voltar à elite. Antes o Sport que um tal de Boa Esporte (que o bodegueiro nunca tinha ouvido antes falar) ou mesmo um tal de Americana (que já foi Guaratinguetá), que nenhuma tradição têm. Agora é torcer para que se mantenham lá, e para que o Santa Cruz faça boa campanha na Série C, subindo para a B.  

Torcer para que o meu Clube do Remo seja campeão do Pará e, fazendo boa campanha na Série D, suba para a C em 2013. Só assim poderá enfrentar o grande rival, o Paissandu, que deverá ficar mais um ano na C até 2014.

TERMINOU a Série B

Torcida do Sport comemorou em Goiânia
TERMINOU o Campeonato Brasileiro da Série B.

Neste sábado à tarde, o Sport garantiu a quarta vaga de acesso ao vencer o Vila Nova, por 1 a 0. O rebaixado Tigrão resistiu o máximo que pôde, vendeu caro a derrota e por pouco não deu a vaga para o Vitória/BA que terminou em quinto.

O Goiás perdeu para o Guarani, por 2 a 0, e terminou a competição na frustrante 11ª posição. Na campanha pífia do Verdão, que tem orçamento maior do que muitos da primeira divisão, foram 18 derrotas. Outra marca negativa foram os 57 gols sofridos, que deixaram o Goiás com a terceira pior defesa do campeonato.

Na briga contra o rebaixamento, sobrou mesmo para o Icasa, que perdeu para a campeã Portuguesa, por 2 a 0, mesmo atuando no Ceará.

Dessa forma, subiram para o Brasileirão 2012, dois paulistas – Portuguesa e Ponte Preta – e dois pernambucanos – Náutico e Sport.

O futebol Pernambucano viveu um ano vitorioso, com os acessos de Náutico e Sport para a Série A, e com o Santa Cruz, que garantiu o acesso para a Série C. A única perda foi o rebaixamento do Salgueiro.

Subiram para a Série A:

Portuguesa
Náutico
Ponte Preta
Sport Recife

Caíram para a Série C:

Icasa
Vila Nova
Salgueiro
Duque de Caxias

A classificação final reflete que foi feita a justiça, Portuguesa, Náutico e Ponte sempre estiveram entre os melhores. O Sport fez muitas trapalhadas mas tem um time bom.

Os rebaixados Salgueiro e Duque de Caxias mostraram desde o início que iriam cair. O Vila Nova foi vítima de uma parceria nefasta, e o Icasa perdeu jogadores importantes e piorou depois de demitir o técnico Márcio Bittencourt.

Em resumo, foi um campeonato fácil, mas o futebol não aceita desaforos. Vitória e Goiás fracassaram achando que subiriam apenas com o nome.  (blog do André Isac, Goiânia, Brasil)

Que venha 2012!

sábado, 26 de novembro de 2011

OPINIÃO de corinthiano: tudo tem a sua hora

AS CONSIDERAÇÕES de André Isac sobre as possibilidades de acesso na Série B


Chances de acesso

SPORT
4º colocado, com 58 pontos.
Precisa vencer o Vila Nova, e ainda torce para que o Bragantino não tire a diferença de quatro gols no saldo (17 a 13).

BRAGANTINO
5º colocado, com 58 pontos.
Precisa vencer o Paraná Clube, em Curitiba, e torce contra o Sport diante do Vila Nova. Se ambos vencerem, o time paulista vai precisar golear o Paraná, pois existe a diferença de quatro gols no saldo. O empate pode servir, desde que o Sport perca e que Vitória, Boa Esporte e Americana não vençam.

VITÓRIA
6º colocado, com 57 pontos.
Precisa vencer o ASA, fora de casa, e ainda torcer para que Sport e Bragantino não vençam seus jogos.

BOA ESPORTE
7º colocado, com 56 pontos.
Precisa vencer o Duque de Caxias, em Volta Redonda, e torcer para que Sport, Bragantino e Vitória não vençam.

AMERICANA
8º colocado, com 56 pontos.
Precisa vencer o o ABC, em Recife, e terá que torcer por derrotas de Sport e Bragantino, e também para que Vitória e Boa Esporte não vençam. (blog do André Isac, Goiânia, Brasil)


Eu, por mim, torço para que o Sport Recife confirme o acesso. Mais um do terceiro-mundo futebolístico brasileiro na elite.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

PITACOS da 37ª rodada (Milton Neves)



Palmeiras 1 x 0 São Paulo. O Verdão vai aniquilar qualquer chance do Tricolor em chegar à Santander Libertadores do ano que vem…
Santos 1 x 1 Bahia. Vai empatar, pra eu não ficar triste com a derrota dos meus queridos…
Flamengo 0 x 2 Internacional. O Colorado vai praticamente carimbar a vaga para a Santander Libertadores e o Flamengo… Xiiiiii…
Grêmio 2 x 1 Atlético-GO. O Imortal nota 4,2 nesse Brasileirão vai conseguir essa proeza em casa…
Atlético-MG 1 x 0 Botafogo. Ufa… Ainda bem, Galo Mais Lindo do Mundo!!! Te amo!!! Você é incaível!!!
Figueirense 2 x 1 Corinthians. O Timão vai ser campeão, mas não vai ser nesse domingo…
Coritiba 2 x 0 Avaí. Tadinho do time do Guga, já rebaixado… E o Coxa acordou tarde demais, que pena…
América-MG 0 x 2 Atlético-PR. O Furacão vai sair do Z-4 contra o Coelho que já caiu…
Ceará 3 x 1 Cruzeiro. Nessa luta desesperada, tá na cara que o Vozão fatura a Raposa que vai cair. Vai cair!!!
Vila Nova 0 x 2 Sport. Bela vitória fora de casa do Sport, que vai voltar junto com o Timbu.
Náutico 2 x 1 Ponte Preta. Jogo que não vai mudar o preço do dólar… Os dois já subiram, que beleza… E o Náutico ganha de virada.
ABC 1 x 1 Americana. Apesar da boa campanha, o Americana vai continuar mais um ano na Série B…
ASA 0 x 2 Vitória. No ano que vem, os soteropolitanos continuarão apenas com o meu Bem Amado Bora Bahêa na 1ª Divisão… (blog do Milton Neves)

OPINIÃO: para que serve a penúltima rodada do Brasileirão (Juca Kfouri)

Pronto!
Chegou a penúltima rodada do Brasileirão, a que pode até definir o campeão, desde que seja o Corinthians.
Que, para tanto, terá de vencer o Figueirense, em Floripa, e torcer para que o Vasco não ganhe do Fluminense, no Engenhão.
O Fluminense só seguirá com chances de título se vencer o Vasco e o Corinthians no máximo empatar em Santa Catarina, com o que o Figueira continuará vivo por vaga na Libertadores.
Ou seja, a 37a. rodada serve para que um saia já campeão ou para que apenas dois continuem na luta pelo título.
E, como se sabe, neste Brasileirão, tudo é possível.
Até o Corinthians perder, o Flu vencer e, então, os três seguirem podendo ser campeões, com o que, cá entre nós, a rodada praticamente nāo terá servido para nada.
Todos os 10 jogos serão disputados no domingo e às 5 em ponto da tarde.
Palmeiras e São Paulo, no Pacaembu, é jogo que serve para o tricolor seguir na luta pela Libertadores e para o alviverde estragar este prazer.
Santos e Bahia, na Vila Belmiro, serve para o Santos treinar com vistas ao Mundial e para o Bahia fugir do rebaixamento de vez.
Flamengo e Inter, em Macaé, serve para os dois brigarem pela vaga na Libertadores.
Grêmio e Atlético Goianiense, no Olímpico, serve só para a Copa Sul-Americana, que pode ser pouco para os gaúchos, mas é muito para os goianos.
Galo e Botafogo, na Arena do Jacaré, serve para o Atlético Mineiro acordar de vez de mais um pesadelo e para o Glorioso ainda sonhar com a Libertadores.
Coritiba e Avaí, no Couto Pereira, serve também ao sonho coxa de Libertadores e mais nada para o Avaí.
Como de nada serve para o América o seu jogo no Parque do Sabiá contra o Furacão, este sim, a fim de fugir do rebaixamento.
E, finalmente, Ceará e Cruzeiro, em Fortaleza, serve para um matar o outro ou, quem sabe, morrerem abraçados. (blog do Juca Kfouri)

PRESENTE de grego

OS MAIORES artilheiros do Brasileirão

Os maiores artilheiros do Brasileirão na era dos pontos corridos:

Jogador Pos. Gols Em 2011
Paulo Baier A 91 5
Washington A 82
Borges A 74 23
Obina A 71
Alecsandro A 67 2
Souza A 63 10
Fred A 61 20
Deivid A 60 15
Marcinho M 58 5
Dagoberto A 57 8
Alex Mineiro A 56
Edmundo A 56
Fernandão A 54
Tuta A 54
Iarley A 53 1
Kleber Pereira A 52
Jonas A 51
Alex Dias A 50
Christian A 50
Diego Tardelli A 48
Dimba A 47
Petkovic M 47
André Lima A 46 9
Felipe A 46 7
Roger A 46 2
Diego Souza M 45 10
Rafael Moura A 44 11
Romário A 43
Nilmar A 42
Rafael Sóbis A 42 10
Marcel A 41
Rogério Ceni G 41 2
Alex M 40 6
Finazzi A 40
Hugo M 40
Renato Abreu M 39 4
Neymar A 39 12
Edílson A 38
Luís Fabiano A 38 4
Wellington Paulista A 38 1
Éder Luís A 37 4
Robinho A 37

.

Maiores artilheiros do Brasileiro desde 1971:

Jogador Gols Período Jogos Média
Roberto Dinamite 190 71-92 328 0,58
Romário 154 85-07 252 0,61
Edmundo 153 92-08 316 0,48
Zico 135 71-89 249 0,54
Túlio 129 88-05 240 0,54
Serginho 127 74-90 184 0,69
Washington 126 99-10 201 0,63
Dario 113 71-85 240 0,47
Kleber Pereira 102 99-10 195 0,52
10º Ramon 98 89-10 367 0,27
11° Dodô 96 95-10 196 0,49
12° Paulo Baier 94 97-11 354 0,27
13° Reinaldo 93 73-85 177 0,53
14° Careca 92 78-86 130 0,71

Evair 92 86-02 221 0,42
16° Cláudio Adão 91 73-93 194 0,47

Jorge Mendonça 91 73-86 197 0,46

Viola 91 88-04 249 0,37

Marcelinho Carioca 91 88-09 284 0,32
20° Tuta 90 96-07 231 0,39
.
(fonte: blog Futebol em Números, Rodolfo Rodrigues)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

NOSSAS cores

ANTONIO Valentim 

O Rei e o manto sagrado azul
ANTIQUADO, tradicionalista, conservador, retrógrado, careta, chato, mala..., podem chamar-me de todos esses nomes, que eu não ligo. Mas se há uma coisa de que não abro mão no futebol, isso é a cor do uniforme do meu time, aquela tradicional, que, lá na nossa meninice, certo dia não sei quando, me dei conta de que me dizia algo de diferente, de valente, de bonito, de bom, um... um amor, uma paixão inexplicável – ainda tente explicá-la aqui. 

Não tem problema, podem me chamar assim. Eu assumo: sou isso mesmo, esse chato, quadrado, careta, aquele para quem as instituições são sagradas, e seus símbolos imutáveis.  Cor de camisa de clube de futebol – ainda mais sendo o meu – é artigo, para este humilde escriba de ocasião, intocável. Ora, trata-se da característica que mais marca o clube, que identifica o time, um item que dá o tom da agremiação, e sobre a qual seus torcedores, associados e dirigentes jamais deveriam abrir mão.
Marciano e o azul marinho tradicional
          
Juntamente com o escudo, o hino e próprio nome do clube, são como cláusulas pétreas no estatuto do clube, vedadas quaisquer propostas de alteração, ainda que movidas por razões comerciais – normalmente é e$$e fator que determina a mudança. A cor do Remo sempre será o azul marinho do amor à primeira vista daquele menino, lá pelo final da década de 1960. Mas essa cor parece luto? – disseram ao menino, tentando dissuadi-lo, a fim de lhe fazer bandear para outras cores. Não interessa! Talvez a cor me parecesse mais apropriada para o velho esporte bretão, simples, sóbria, sem firulas, adequada a um desporto viril, enquanto as outras cores propostas poderiam, no subconsciente do garoto, estar associadas a bloco de carnaval, festas de criança ou coisa assim. Não sei, mas acho que já estava definido lá no ventre de minha mãe que eu seria azulino. Ou até antes disso. 


Tem gente que passou a torcer pela equipe X porque, quando viu a entender-se como gente, de tanto ouvir dos adultos – pai, mãe, primo, vizinho... –  que este ou aquele time era o bom, o tal, um timaço, que o jogador fulano era um cracaço de bola, enfim; e que o outro rival não prestava. Há outros que simplesmente gostaram do nome do time – a soar-lhe como música de amor aos ouvidos – e esse detalhe acabou sendo fundamental para que passasse a jurar amor eterno por aquela equipe de bola. Outros, ainda, porque o pai é torcedor desde criancinha, razão pela qual o filho decerto não poderia torcer pelo time rival – isso seria uma vergonha, um desgosto familiar. Enfim, há inúmeras razões, algumas explicáveis, plausíveis, outras nem tanto, para que alguém tenha escolhido um time pelo qual iria alegrar-se, sofrer, defender, xingar, chorar, sorrir, lutar, pelo resto de sua vida. Nisso tudo, a cor do uniforme também teve lá a sua influência, não importando se essa cor é bonita ou feia – isso é de foro íntimo, subjetivo, e até mesmo o torcedor do Madureira – se existir um – acha o uniforme do time dele o mais bonito deste mundo. Do Barcelona, então, o que dizer? 


Há camisas de todo o tipo; desde as simples e sóbrias – igual à do Remo – até as exóticas (Palermo), as extravagantes (Madureira, Sampaio Correia, Barcelona...) e  as de duas listras (alvi-rubras, alvi-verdes, auri-negras, rubro-negras, alvi-azuis etc), a maioria verticais e outras, horizontais. Classifico a tradicional alvi-negra vertical, como a do Botafogo, do Atlético Mineiro e do Santos, na categoria ‘sóbrias’. 


Há hoje clubes que vão, aos poucos, mudando de uniforme, tentando acostumar seus torcedores com a nova indumentária, em função da propaganda, ou do marketing, como se diz modernamente. Algumas camisas, outrora intocáveis, sóbrias, estão, com o passar do tempo, mais berrantes, um verdadeiro carnaval; outras, um senhor outdoor ambulante, um samba do crioulo doido. E quanto aos calções, desde que se descobriu que se pode fazer propaganda nos uniformes, estes ficaram tão compridos que mais se parecem a bermudas. 


Quanto aos selecionados de futebol, a regra geral é as cores da bandeira do país representado. Essa é a regra geral; no entanto, há exceções, como a Itália que adotou a camisa azul escura (por que será?), mesmo sendo a sua bandeira verde, vermelha e branca. A Alemanha usa a camisa branca, ainda que inexista essa cor na sua bandeira, mas tudo bem, pois o branco é uma cor neutra. O azul também é adotado pelo Japão, ainda que sua bandeira seja branca com um círculo vermelho ao centro. A própria Argentina, nossos rivais na América, malgrado seu uniforme principal ser aquele listrado horrível devido à bandeira (uma obrigação), adota o azul marinho – esse da cor do nosso Clube do Remo – como seu uniforme opcional. A Escócia também vai bem de azul marinho, igualmente ao da antiga Iugoslávia. Nota-se aí uma preferência pelo azul que vai do escuro ao marinho, desconfio eu que seja pela beleza. Alguém pode me dizer por quê? 


Algumas cores há que, na minha caretice, realmente não caem bem para um time de futebol, ainda mais se esse time for brasileiro. Aquele uniforme do Palermo, por exemplo, somente vinga por ser na Itália. Até o Palmeiras, equipe tradicional, me vem agora com aquele verde igual a lápis marcador de texto – pela mãe do guarda! Se eu fosse palmeirense, não iria aprovar. 


 Existem outros que adotaram as cores de equipes já consagradas no cenário brasileiro, numa espécie de homenagem, como as cores dos times imitadores do Flamengo; o que tem de equipe com aquele rubro-negro horizontal não está no gibi! Para mim, time de futebol é igual gente: tem que ter sua própria personalidade; nada de imitar os outros.   

A verdade é que credo religioso, preferência clubística – mesmo os de uniforme feio, bandeira político-partidária, são assuntos sagrados, de foro íntimo, e cada um gosta, ama, adora o seu. É a nossa opinião, respeitando sempre a alheia.  



Mas que tem cada camisa que é uma doideira, um deslumbre, ah isso certamente tem! Prefiro continuar careta.


Na Bahia é todo mundo muito simpático. É um povo muito hospitalar.”  Zanata, baiano, ex-lateral do Fluminense, ao comentar sobre a hospitalidade do povo baiano. (em 17mar.2011, blog do DJ Leão, Belém - PA, Brasil)

FIQUEM com o bom Deus e...
LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

UNIVERSIDADE complica Vasco

O ÓTIMO jogo da Liga dos Campeões em Milão prosseguiu no Rio pela Copa Sul-Americana. 

O primeiro tempo de Vasco e Universidade do Chile foi disputado intensamente e com técnica muitas vezes apurada. 

La U não é o Barcelona, longe disso, tanto que foi o Vasco quem ficou mais tempo com a bola, 51%. 

Mas é mesmo um belo time, taticamente disciplinado e de muita personalidade, capaz de jogar sem se intimidar em São Januário eletrizado pela massa cruzmaltina. 

E se ameaçou o Vasco, foi ainda mais ameaçado, até com um lindo chute de Élton no travessão, aos 30. 

E tomou o gol de Bernardo, dois minutos depois, numa bola desviada que ficou a feitio do vascaíno para por os brasileiros em vantagem, mesmo sem Éder Luís e Diego Souza. 

O segundo tempo manteve o diapasão, com o time chileno partindo para dentro do Vasco com coragem. 

Enquanto o Vasco buscava acertar um contra-ataque para liquidar o jogo, La U pressionava e, aos 20, Alecsandro substituiu Élton, numa opção de Cristovão, diferentemente do que acontecera quatro minutos antes, quando Felipe, com problemas musculares, teve de dar o lugar ao xará Bastos. 

Uma lástima, porque Felipe vinha muito bem. 

Fernando Prass tinha que trabalhar com a competência de sempre e o ex-corintiano Jhonny Herrera era o chamado espectador privilegiado do jogo. 

Só aos 27, em lançamento de Juninho Pernambucano batendo falta para Dedé é que o goleiro rival teve algum trabalho. 

O jogo não parava, disputado em clima de Libertadores, mas, no mais das vezes, lealmente, como deve ser. 

E, aos 33, o zagueiro Osvaldo Gonzáles, fez o gol que Dedé não conseguira, em jogada semelhante, depois de cobrança de falta sobre a área vascaína, numa saída indecisa de Prass. 

Pelo que acontecia no segundo tempo, inútil negar, era justo. 

Ee complicava a vida brasileira em Santiago, no próximo dia 30. 

Era hora de mexer de novo e Leandro entrou no lugar de Allan. 

Aos 40, foi a vez de Alecsandro, em nova cobrança de falta de Juninho, não conseguir o gol que Dedé também não conseguiu e o time chileno fez, numa cabeçada sem direção. 

E o danado time andino não se preocupava apenas em defender o excelente resultado que lhe dava o direito do 0 a 0 em casa: buscava o segundo gol. 

Que, aos 42, mais uma vez, esteve na cabeça de Alecsandro, em vão. 

O Vasco vive, mas sabe que a vida ficou muito mais difícil. 

Agora é esperar a penúltima rodada do Brasileirão para planejar o que fazer na semana que vem. 

Porque, caso mantenha viva a possibilidade de ser pentacampeão brasileiro contra o Flamengo, aí será sim caso de abdicar da Copa Sul-Americana. 

Caso contrário, é ir com tudo para jogar aos pés da Cordilheira dos Andes.
La U completou 29 jogos sem perder… 

Em tempo: o Vasco teve 54% de posse de bola durante os 94 minutos de jogo. (blog do Juca Kfouri)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

PARA VITOR Birner, Corinthians tem boas chances de subir já neste domingo

Iluminado! 

A VITÓRIA do Corinthians diante do Galo foi típica dos times campeões. A da última quarta-feira, contra o Ceará, também.
A equipe está iluminada. Começam a aparecer os personagens inusitados, heróis inesperados, e a conquista dos pontos tem contornos dramáticos. 

Campeão no domingo?

Muito bem posicionado na parte defensiva, o Corinthians vai encarar o Figueirense, em Floripa, no próximo domingo.

O Figueira perdeu por 4×0 em seu estádio, ontem, contra o Fluminense.
Não sei qual será o impacto emocional no elenco catarinense depois de da goleada.
Mesmo se não ficou abalado, a equipe terá que vencer o líder do brasileirão, próximo domingo, no Orlando Scarpelli.
Precisa dos 3 pontos para chegar à Libertadores.
Se o Corinthians continuar se defendendo bem, o Figueira terá que correr riscos em busca da vitória.
O Alvinegro de Parque São Jorge, que tem dificuldades na criação, atuará como mais gosta.
Fechado e contragolpeando.
Além disso, se compararmos jogador com jogador, o Corinthians possui mais qualidade técnica.
E conta, no elenco, com atletas experientes, preparados para os momentos decisivos.
O líder, mais por conta das circunstâncias do que pelo futebol mostrado nas 10 últimas rodadas, entrará no gramado do Orlando Scarpelli na condição de favorito.
O Vasco, único time que pode tomar a liderança corintiana, vai encarar o Flu nos mesmos dia e horário.
O Tricolor é a equipe que joga o melhor futebol do país. Foi assim ao longo de grande parte do segundo turno.
Clássicos não têm favoritos, mas a tendência, ao ver o desempenho dos grandes cariocas, é que o Flu pontue no domingo.
O time de Abelão é melhor que o vice-líder.

Se o Corinthians vencer e houver empate no clássico, ou a vitória do Flu, o campeão  campeão nacional de 2011 estará definido. 

Obviedade 

O futebol prega peças.
Não há tanta diferença de qualidade entre as agremiações brasileiras.
Vasco e Figueirense podem vencer e a situação da disputa pelo título sofrer uma reviravolta.
Ninguém se surpreenderá caso ganhem.
Mas as circunstâncias, agora, indicam que a chance de o Corinthians festejar a conquista do brasileirão no próximo domingo é bem razoável.

A matemática 

A matemática mostra que Corinthians, Vasco e Fluminense brigam pelo título.
Eu não vou brigar com a ciência da regularidade.
Eles têm chances. (blog do Birner)

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

OS NOSSOS super heróis

Antonio Valentim

UM PROFESSOR de inglês, que tive na juventude, colombiano de nome Eduardo, dizia, como recurso didático, sobre seu filho: ‘My son is Brazilian, so he likes football (Meu filho é brasileiro, logo ele gosta de futebol). Ou ‘My son likes football because is Brazilian’ (Meu filho gosta de futebol porque é brasileiro). 
Pelé com a camisa azulina em 1965

Sim. É inquestionável que o futebol corre nas veias do brasileiro. Paixão nacional; o filho nasce e o pai compra logo uma camisa do time de sua paixão. Mas nem sempre a genética atua decisivamente para a escolha de um time para se torcer pela vida inteira e mais seis meses.

Aqui me cabe tentar explicar (eu disse ‘tentar’) a razão de você gostar de um determinado clube de futebol, agremiação partidária ou até mesmo escola de samba (para aqueles que gostam de carnaval). É fato que nós (ou quase todos) temos nossa própria opinião, chegando até mesmo a desprezar as alheias, sobre pessoas, instituições e bandeiras. As ciências que  estudam o comportamento humano na sociedade explicam melhor a questão.

Uma das explicações é que nós, cientes da nossa limitação, porém inconformados com ela, tendemos naturalmente a transferir nossos anseios de força, poderes sobrenaturais e imortalidade a alguém ou a algo. Como é próprio da natureza humana, esses poderes sobre-humanos não teriam sentido sem ser externados. O americano, motivado pela popularização do cinema, e com o escopo de ganhar dinheiro (claro, quase tudo na humanidade tem a motivação material), soube bem explorar esse sentimento, e, inspirado na mitologia antiga, criou os super-heróis modernos e assim chegaram ao nosso dia a dia seres extraordinários como o Super Homem, Batman, Capitão América, Homem Aranha, Mulher Maravilha...

Todos eles do bem, dotados de poderes extraordinários e virtudes como a coragem, a lealdade, o estoicismo, em defesa dos fracos e oprimidos. Como contra-ponto criaram o vilão, aquele homem mau, feio, eternamente mal-intencionado, assassino frio e cruel, que queria sempre dominar o mundo, escravizando os fracos e oprimidos. 

Com o futebol ocorre o mesmo. O seu time é sempre o melhor, enquanto o rival é ruim e freguês. Os jogadores do seu time são bons, enquanto os do rival apenas esforçados porém não o suficiente para ganharem do seu time. Tais sentimentos são extensivos aos outros times, quando estes enfrentam o rival. As cores do uniforme do seu time são as mais bonitas, enquanto as do time rival não. A torcida do seu time, se não for maior, é mais vibrante, mais fiel; a adversária é horrível ou sem-graça.  

É assim. Então, o seu time representa no final essa válvula de escape (para usar um clichê surrado) do cidadão comum, batalhador, e que, diante da impossibilidade de ele próprio ser o super-homem, torce para alguém ou um grupo (o seu time de futebol, por exemplo) derrotar o inimigo, no caso, representado pelo time rival, e assim ele pode festejar, tirando aquele sarro do colega de trabalho, do vizinho, do conhecido. 

E agora, me dêem licença que preciso ir ao escritório passar urgente um fax (estou apertado!).


"Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola." (Bradock, amigo de Romário, reclamando de um passe longo)


(postado originalmente no blog DJ Leão em 05mar.2011)


LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

CONFIRA os resultados


Campeonato Brasileiro Série A


São Paulo 3x1 América/MG
Vasco 2x0 Avaí
Grêmio 1x3 Ceará

Corinthians 2 x 1 Atlético
Botafogo 1 x 2 Internacional
Cruzeiro 1 x 1 Atlético
Atlético/GO  0 x 0 Flamengo
Figueirense 0 x 4  Fluminense
Coritiba 1 x 0  Santos
Bahia  0  x 2 Palmeiras


Campeonato Brasileiro Série B


Portuguesa 4x0 Duque de Caxias/RJ
Ponte Preta 4x1 ABC/RN
Bragantino/SP 0x1 ASA/AL
Sport  3x0 Paraná/PR
Americana/SP 2x1 Vila Nova/GO
Salgueiro/PE 1x4 Guarani/SP
Criciúma/SC 1x2 Grêmio Barueri/SP
Goiás/GO 0x0 Icasa/CE
Vitória/BA 1x2 São Caetano/SP
Boa Esporte/MG 2x1 Náutico/PE


Campeonato Brasileiro Série C
América 2 x 1 Paysandu
Luverdense 1 x 1 CRB

Campeonato Brasileiro Série D
 Santa Cruz 0 x 2 Tupi

JUCA Kfouri: rodada de vida e de morte

A ANTEPENÚLTIMA rodada do Brasileirão foi de matar.

Matou, por exemplo, o Avaí e o América, definitivamente rebaixados.
Matou, também, as chances de Botafogo e Flamengo com relação ao título.
Sobraram apenas o Corinthians, o Vasco e o Fluminense.

Sim, porque a rodada também foi de viver.
O Corinthians não só continuou vivo na liderança, dois pontos à frente do Vasco e cinco à frente do Fluminense, como ressuscitou, aos 43 minutos do segundo tempo, o Imperador Adriano, o autor do fantástico gol que deu a vitória corintiana, de virada, contra o Galo, num Pacaembu lotado e enlouquecido.
A rodada pôs o Inter na zona da Libertadores e tirou tanto o Flamengo quanto o Botafogo.
E teve 25 gols, além de média de público de mais de 19 mil pagantes por jogo, melhor presença no Serra Dourada, com quase 38 mil torcedores para verem o Flamengo decepcionar mais uma vez.

O menor público foi o do Olímpico, com apenas quase 6 mil pagantes.
A próxima rodada pode definir o campeão, caso o Corinthians ganhe do Figueirense, esfacelado, mas em Floripa, e o Vasco não ganhe do Fluminense.
Mas o Vasco também pode acabar a penúltima rodada na liderança, desde que vença o Fluminense e o Corinthians perca para o Figueira.
Em bom português: ainda tudo pode acontecer, até o Flu ser campeão outra vez, desde que o ganhe seus dois próximos jogos e o Corinthians faça apenas um ponto nos dois jogos que lhe restam.

Sim, tudo pode acontecer neste campeonato que tem visto de tudo acontecer, até o Imperador renascer. (blog do Juca Kfouri)

domingo, 20 de novembro de 2011

AMÉRICA de Natal bate Paysandu e sobe para a Série B

CRB e Joinville vão decidir o título da Série C em dois jogos

O AMÉRICA de Natal (RN) ficou com a quarta vaga de acesso dentro do Campeonato Brasileiro da Série C ao vencer o Paysandu, por 2 a 1, neste domingo à tarde, em Goianinha (RN). Com a vitória, o time potiguar ficou em segundo lugar no Grupo E, com nove pontos, três atrás do líder CRB, que empatou por 1 a 1 com o Luverdense, em Lucas do Rio Verde (MT) pela sexta e última rodada.

América-RN e CRB-AL ficaram com as duas vagas no Grupo E, enquanto Joinville e Ipatinga subiram para a Série B, em 2012, pelo Grupo F. A decisão do título acontecerá entre os líderes CRB e Joinville. O primeiro jogo será disputado em Maceió, dia 27, e o segundo no dia 3 de dezembro, em Joinville, em Santa Catarina. Na classificação final do Grupo E, o Paysandu ficou em terceiro lugar, com sete, seguido pelo Luverdense, com três.

Os jogos finais
Em Goianinha, o América sempre foi melhor, mesmo porque sabia da necessidade da vitória. Assim marcou seus dois gols ainda no primeiro tempo, com Wanderley e Max. No começo do segundo tempo, o Papão diminuiu com Rafael Oliveira. Mas tudo ficou por ai.

Em Lucas do Rio Verde, apenas cumprindo tabela, Luverdense e CRB empataram, por 1 a 1, num placar justo. O visitante marcou primeiro, com Cadu, mas régis, de pênalti, empatou para o time de Mato Grosso, ainda no primeiro tempo. O time alagoano, já com acesso garantido e vaga na final, atuou com time misto.

Confira os resultados da 6.ª rodada:

América-RN 2 x 1 Paysandu-PA
Luverdense-MT 1 x 1 CRB-AL

Classificação final!
(Agência Futebol Interior)

COPA do Nordeste com apoio da CBF. E o Norte ?

Abner Luiz


Belém é a maior força do Norte com torcidas de Remo e Paysandu

A MÚSICA do Mosaico de Ravena fala que Norte não é com M e quantos no futebol brasileiro sabem disso? A CBF anunciou que em 2013 a Copa do Nordeste estará de volta com disputa por vaga na Copa Sul-Americana e apoio da CBF. A pergunta que fazemos é a seguinte: E a Copa do Norte?

É bom lembrar que o mesmo voto da Federação Paulista é o voto de uma Federação do Norte ou do Nordeste e, com essa notícia, o que vão fazer as Federações Norte, inclusive a nossa paraense para pleitear o mesmo?

Claro que não esqueçamos que o Nordeste tem equipes nas Séries A, B, C e D e investimento de patrocinadores bem maior do que o nosso e o Norte limita-se às Séries C e D do Brasileiro. Mas nada disso nos diminuiu e fazemos parte desse futebol brasileiro. E se a meta também é usar os estádios do Nordeste que esperam estar prontos um ano antes da Copa, o Amazonas também é sede da Copa do Mundo e ainda temos o Mangueirão com padrão adequado.

Que as federações do Norte busquem informações e corram atrás da CBF e, juntas, trabalhem para as mesmas condições. Nesse caso, a ajuda política também é muito importante, principalmente com a cabeça do Ricardo Teixeira quase na bandeja, como temos visto nos noticiários nacionais e internacionais.

L
embrando que, dentre os presidentes das Federações do Norte, ninguém tem mais prestígio na CBF como o Coronel Nunes (primeiro à esquerda na foto), presidente da Federação Paraense de Futebol. Se bem que eu destaco o coronel Nunes e não o futebol do Norte ou os clubes do Norte, que ele querendo ou não representa.

Essa semana, um testemunho do presidente do Paysandu, Luiz Omar, chegou a causar revolta, quando ele disse que, para alguém atender o Paysandu na CBF, é algo perto do impossível. (Futebol Interior)

TUDO pode acontecer até a última rodada, diz PVC

Vitória do Vasco. Imagine o que pode acontecer até a última rodada


O VASCO venceu o Avaí por 2 x 0 com nova exibição de gala de Felipe, o melhor em campo. 

Agora imagine o que pode acontecer até a última rodada, se o Brasileirão insistir em ser o torneio mais imprevisível e equilibrado do planeta.

Imagine que o Corinthians empate com o Atlético Mineiro no Pacaembu e o Figueirense vença o Fluminense em Florianópolis. 

1. Corinthians 65, 2. Vasco 65, 3. Figueirense 62, 4. Fluminense 59.

Na 37a rodada, e penúltima, o Figueirense recebe o Corinthians, o Fluminense enfrenta o Vasco. 

Digamos, então, que o Figueirense vença o Corinthians em Florianópolis e o Fluminense vença o Vasco, domingo da semana que vem. 

1. Corinthians 65 (19 vitórias), 2. Vasco 65 (17 vitórias), 3. Figueirense 63 (17 vitórias), 4. Fluminense 62 (20 vitórias).

Nesse caso, quatro clubes chegariam (ou chegarão) à última rodada com chance de ganhar o Brasileirão, como aconteceu em 2009 com Flamengo, Internacional, São Paulo e Palmeiras.

Os quatro últimos jogos dos candidatos: Corinthians x Palmeiras, Vasco x Flamengo, Figueirense x Avaí, Botafogo x Fluminense.

Mais concreto: com a vitória do Vasco sobre o Avaí, só esses quatro e mais o Flamengo resistem com chance de ganhar o Brasileirão. Se o Corinthians empatar ou vencer o Atlético Mineiro, o Fla também perde as chances de levantar a taça, porque poderá chegar no máximo a 65 pontos e 17 vitórias. (Paulo Vinícius Coelho)

sábado, 19 de novembro de 2011

PITACOS da 36ª rodada (André Isac)

Previsões da 36ª rodada:

Sábado

19h00
São Paulo x América-MG - São Paulo
Vasco x Avaí - Vasco
Grêmio x Ceará - Grêmio

Domingo
17h00
Corinthians x Atlético-MG - Corinthians
Botafogo x Internacional - Internacional
Cruzeiro x Atlético-PR - Empate
Atlético-GO x Flamengo - Atlético

19h00
Figueirense x Fluminense - Figueirense
Coritiba x Santos - Coritiba
Bahia x Palmeiras - Bahia
(blog do André Isac, Goiânia - GO, Brasil)